Concerto Moderno, docente, Maestro

César Viana

É

diplomado em Musicologia (Universidade Nova de Lisboa), Composição (Escola Superior de Música de Lisboa) e Flauta de Bisel (Conservatório Nacional – Lisboa).

Os seus professores de Composição foram Christopher Bochmann e Constança Capdeville.

Recebeu encomendas de instituições tão diversas como Ballet Gulbenkian (Lisboa), Companhia Nacional de Bailado (Lisboa), Festival Internacional de Mafra (Portugal), Rencontres Musicales Internacionales des Graves (Bordeaux, França), Gaia Festival (Zurique, Suíça), Orquestra Metropolitana de Lisboa, Rádio Difusão Portuguesa – Antena 2, Teatro da Trindade (Lisboa), Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo (Lisboa), Quarteto São Roque, Shakespeare Women Company, Segréis de Lisboa, Festival CriaSons (Lisboa), Festival Lisboa Mistura, Orquestra Barroca de Schaffhausen, Centro Cultural de Castelo Branco. As obras de César Viana são editadas pelas Edições AVA.

Entre os intérpretes da sua música de câmara destacam-se Luís Cunha, Teimuraz Janikashvili, Quarteto São Roque, Liviu Scripcaru, Luís Andrade, Daniel Garlitsky, Natalia Tchitch, Tatiana Samouil, Filipe Pinto-Ribeiro, Adrian Florescu, Gerardo Gramajo, Pavel Gomziakov, Daniel Schvetz, Bertrand Raoulx, Carlo Colombo, Ensemble João Roiz, Marina Pacheco entre outros.

Enquanto maestro ou flautista, gravou para EMI classics, BMG, Philips, RCA, Strauss, Xerais, Bajja records e Resonare. Foi convidado para dirigir várias orquestras tais como Radio-Philarmonie Hannover (NDR), RIAS Big Band Berlin, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Filarmonia das Beiras, Orquestra Clássica da Madeira, Orquestra Francisco de Lacerda (Açores), Sinfonieta de Ponta Delgada, etc. Dirigiu também produções de ballet clássico da Companhia Nacional de Bailado e da Escola de Dança do Conservatório Nacional. Neste momento é director musical da orquestra de câmara Concerto Moderno (Lisboa).

Como instrumentista, a atenção de César Viana vai desde a música medieval à contemporânea, do shakuhachi japonês às gaitas de pastores, do barroco à música sefardita…

Colaborou com músicos como Mika Suihkonen, Cristiano Holtz, Maria João Pires, Natalia Tchitch, Daniel Garlitsky, Otto Pereira, Gwendolyn Masin, Jill Lawson, Iddo Bar-shai, Lev Vinocour, Tomohiro Hatta, Teimuraz Janikashvili, João Pedro Delgado, Javier Garrido, etc. Também com a orquestra Sinfonia B e os grupos Birundum, Cobras e Son, Vozes Afonsinas e Entrebescant. Esta multiplicidade de referências musicais contribui para um universo musical rico e variado e tem um reflexo muito evidente nas suas composições.

Foi autor de várias emissões radiofónicas nas rádios clássicas de Portugal e Espanha (CDs y LPs, Solo Canciones, Músicas de Portugal, Música em Mi).

César Viana foi director artístico dos ensembles Sinfonia b e Cobras e Son, do Festival de Música Antiga de Sesimbra, e também do Centro para o Estudo das Artes de Belgais, fundado por Maria João Pires.

Teve também responsabilidades directivas e de coordenação na Fundación Caja Duero (Salamanca) e na Orquestra Metropolitana de Lisboa. Foi membro do Conselho de Administração de OPART (Teatro Nacional de São Carlos e Companhia Nacional de Bailado).

Foi director artístico do “Festival ao Largo”, o maior festival de música clássica de Portugal, nas edições de 2011 e 2012.

Durante largos anos foi professor de Teoria, Análise, Composição, Música de Câmara e Orquestra no Instituto Gregoriano de Lisboa, Conservatório Nacional e Conservatório Metropolitano de Lisboa.

Atualmente é professor no Centro Superior Katarina Gurska, em Madrid e colabora com a Escola de Música do Colégio Moderno.

Share this